Reitor da UPE recebe Medalha de Mérito Educacional Professor Paulo Freire, do Conselho Estadual de Educação de Pernambuco

O Reitor da Universidade de Pernambuco, Prof. Pedro Henrique de Barros Falcão recebe a Medalha de “Mérito Educacional Professor Paulo Freire”, do Conselho Estadual de Educação de Pernambuco (CEE). A solenidade de outorga será realizada, nesta sexta-feira (17), às 16h, no Auditório Senador Sérgio Guerra, Edifício Miguel Arraes de Alencar, na Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco (Alepe), no Recife.

O Mérito Educacional Paulo Freire é uma condecoração concedida sob a luz da Resolução CEE/PE n° 01/2001, onde agracia anualmente profissionais e instituições de destaque e expressão no campo da educação pernambucana. A medalha homenageia Paulo Freire, o Patrono da Educação no Brasil. O pensador completaria 100 anos no próximo dia 19 de setembro.

Leia mais...

Campus Mata Norte promove II Encontro Parfor-UPE para discutir importância da formação de professores da Educação Básica

Criado para atender profissionais do magistério no exercício da docência na rede pública de educação básica e que não possuem a formação específica na área em que atuam em sala de aula, o Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) será tema de evento promovido pelo Campus Mata Norte da Universidade de Pernambuco dentro das comemorações de 30 anos de fundação da UPE e dos 11 anos anos da ação pedagógica que foi encampada desde seu início pela instituição de ensino superior pública estadual.

O II Encontro Parfor-UPE vai acontecer na sexta-feira (17), das 9h às 17h, com lançamento de livro, conferência de abertura e duas palestras. A transmissão ao vivo será pelo canal YouTube do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE) da UPE.

Aberto a todos os interessados em educação pública de qualidade, o evento online terá a participação de especialistas da UPE, professores-alunos, egressos e docentes do Parfor, além de convidados. O evento acontece em um cenário nacional de incertezas em relação a investimentos públicos na qualificação de professores.

Com 175 páginas, o livro “O Parfor como possibilidade de remediar os desafios da escola básica” será lançado na cerimônia de abertura do encontro. Publicada pela Editora da Universidade de Pernambuco (Edupe), a obra reúne nove artigos que abordam experiências do Parfor na UPE.

A organização do livro é de três integrantes do Campus Mata Norte da UPE: Maria Auxiliadora Leal Campos (diretora do Campus e coordenadora geral do Parfor na UPE), Maria do Carmo Barbosa de Melo (coordenadora adjunta do Parfor na UPE) e Adlene Silva Arantes (coordenadora do curso de Pedagogia do Parfor na UPE e líder do Grupo de Estudos Étnico-racial e Ambiental - Gera).

A publicação alerta para o desmonte do Parfor e o avanço de grupos privados na educação básica, formando professores em tempo rápido e com material didático pré-elaborado.

O Parfor é um programa emergencial instituído para atender o disposto no artigo 11, inciso III do Decreto nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009 e implantado em regime de colaboração entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), os estados, municípios o Distrito Federal e as Instituições de Educação Superior (IES).

O objetivo principal do programa é garantir que os professores da rede pública de educação básica obtenham a formação exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

O programa fomenta a oferta de turmas especiais em cursos de Licenciatura (para docentes ou tradutores intérpretes de Libras em exercício na rede pública da educação básica que não tenham formação superior), Segunda licenciatura (para professores licenciados que estejam em exercício há pelo menos três anos na rede pública de educação básica e que atuem em área distinta da sua formação inicial) e Formação pedagógica (para docentes ou tradutores intérpretes de Libras graduados não licenciados que se encontram no exercício da docência na rede pública da educação básica).

Acadêmica de Medicina da FCM/UPE integra grupo internacional que publicou artigo na The Lacent Regional Health Americas sobre Covid-19 e atraso de cirurgias no Brasil

Uma acadêmica do curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Pernambuco (FCM-UPE) integra a lista de 16 pesquisadores de quatro países que publicaram um artigo conjunto no The Lancet Regional Health Americas sobre o impacto da Covid-19 no atraso de cirurgias de emergência e eletivas, aqueles não considerados de urgência e emergência, no Brasil.

Aluna do quinto ano, Letícia Nunes Campos foi a segunda autora do manuscrito e integrou a equipe de especialistas do Brasil, da Argentina, do Canadá e dos Estados Unidos autora do estudo. Seu contato com o grupo ocorreu pela participação dos pesquisadores brasileiros que colaboram com o Program in Global Surgery and Social Change da Harvard Medical School. 

“Desde agosto de 2020 que frequento o grupo em questão, que visa desenvolver pesquisas e políticas em saúde voltadas à promoção do acesso universal, em tempo hábil, e seguro a serviços em cirurgia, anestesia e obstetrícia”, afirma Letícia. Ela contribuiu com o planejamento inicial do projeto e da metodologia, o que seria foco da pesquisa, bem como nas etapas de coleta de dados, interpretação dos resultados e escrita do trabalho.

O artigo de 11 páginas, intitulado “Association between government policy and delays in emergent and elective surgical care during the COVID-19 pandemic in Brazil: a modeling study”, foi disponibilizado em agosto na versão online da edição regional das Américas da revista médica britânica The Lancet, uma das mais respeitadas editoras científicas do mundo.

O trabalho mostra que houve um atraso de mais de um milhão de cirurgias no Brasil devido à pandemia da Covid-19, detalhando os estados mais afetados e como medidas mais restritivas impediram um menor atraso nas cirurgias de emergência.

De acordo com os autores, “políticas de saúde mais restritivas para conter a Covid-19 garantem reduções mínimas na realização de cirurgias de emergência, mas aumentam dramaticamente o acúmulo de cirurgias eletivas. Esforços governamentais coordenados serão necessários para abordar especificamente o acúmulo de cirurgias eletivas que acompanha as políticas em saúde mais rigorosas”.

Segundo um levantamento realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), divulgado na segunda-feira (13), cerca de 27 milhões de procedimentos eletivos, entre exames e cirurgias, foram suspensos no Brasil desde março do ano passado.

O ranking das áreas médicas mais atingidas é liderado pelos procedimentos oftalmológicos, seguido por radioterapia, citopatologia, neurologia, cardiologista, clínica médica, ginecologia e obstetrícia, radiologia e medicina laboratorial.

Artigo na íntegra em inglês: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2667193X2100048X

Grupo G-PENSE do Campus Arcoverde da UPE promove Ciclo de Diálogos Insurgentes

O Grupo de Pesquisa sobre Contemporaneidade, Subjetividades e Novas Epistemologias (G-PENSE) do Campus Arcoverde da Universidade de Pernambuco promove na quinta-feira (16) um encontro virtual via Google Meet que vai discutir a temática “Gêneros: entre subjetividades e construções sociais”. 

As inscrições podem ser realizadas pelo formulário disponível neste link: https://forms.gle/3NZVVL2Ky3PKDpMz5. Participantes receberão certificação de quatro horas/aula. O evento começará às 16h. Mais informações no perfil do Instagram (@gpense_).

Mediado desta vez pelo grupo temático [En]Quadros - Estudos sobre Gêneros, o Papo de Quinta - Ciclo de Diálogos Insurgentes terá como convidados Neilton dos Reis (escritor e professor da UEMG e doutorando em educação pela UFMG) e Cori Sales (professora e trabalhadora-associada da Quintal Escola da Festa em Belo Horizonte e mestra em educação pela UERJ).

Orientado por Fernando Cardoso e Rita Tabosa, ambos docentes do curso de Direito no Campus Arcoverde, o G-PENSE é um espaço para investigações de caráter crítico e interdisciplinar voltado a repensar e propor posturas, metodologias e interpretações outras para questões que cercam os processos de luta e reivindicação por direitos. 

Além da UPE, o grupo reúne pesquisadores da PUC-RJ, UFPE, Centro Universitário do Rio São Francisco e Universidade Paulista. Eles ajudam os estudantes a aproximar suas dinâmicas reflexivas e de pesquisa próximas aos campos das Ciências Sociais Aplicadas e Humanas.  

Atualmente, o G-PENSE possui quatro linhas de pesquisa: 1) Estudos de gênero, discriminação e corporalidades dissidentes; 2) Luta por direitos e produção de subjetividades; 3) Estudo das Novas Epistemologias e narrativas insurgentes; 4)  Decolonialidade, pensamento afrodiaspórico e religiosidades não-hegemônicas. 

SES implanta a Rede de Telecardiologia de Pernambuco em parceria com o Procape

 

Com o intuito de qualificar o atendimento em cardiologia na atenção primária e evitar, assim, complicações e mortes por doenças cardiovasculares, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) iniciou a implantação da Rede de Telecardiologia de Pernambuco (Telecardio PE), programa que proporciona a emissão de laudos de eletrocardiograma online (TeleECG), além da realização de teleconsultorias e teleconsultas com profissionais capacitados. O projeto é coordenado pelo Núcleo de Telessaúde e pela Superintendência de Atenção Primária da SES, em parceria com o Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape), da Universidade de Pernambuco (UPE).

“O Procape, com toda a expertise nas áreas voltadas para a cardiologia, tem o papel de somar os esforços para atuar, in loco, na capacitação dos profissionais dos serviços que decidem implantar o TeleECG. Nosso objetivo é capacitar esses trabalhadores para que eles sejam multiplicadores do conhecimento adquirido”, destaca a coordenadora do Núcleo de Telessaúde do Procape e professora da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora das Graças da UPE, professora Simone Muniz.

Alagoinha, no agreste pernambucano, foi o primeiro município a receber o projeto-piloto e já realizou, até o momento, mais de 700 exames neste formato em cinco pontos distribuídos na cidade. Outros 26 municípios pernambucanos, já estão com a implantação do TeleECG em andamento. A expectativa é incorporar o serviço em cerca de 200 pontos espalhados em unidades de atenção primária à saúde. 

Leia mais...